complexo de inferioridade

Entender o que se passa com nossos sentimentos é o segredo para encontrar o bem-estar interior. Muitas vezes, temos a sensação de que não somos competentes o suficiente para algo, ou ainda, para alguém. Compreender que se sentir inferior pode ser um complexo pode te ajudar a reverter essa situação.

Se situações do trabalho te fazem sentir menos que alguém, ou se uma pessoa bonita ou inteligente te deixa tão mal a ponto de desistir de sair ou fazer algo, significa que você possui sentimentos de inferioridade. É normal nos sentirmos assim vez ou outra, mas quando a situação leva a loucuras e gera situações que poderiam ser evitadas é hora de procurar ajuda.

O conceito “Complexo de Inferioridade” foi criado por Alfred Adler (1870-1937), médico psiquiatra, para definir sentimentos de incompetência e até incapacidade de resolver os problemas, o que faz com que a pessoa se sinta um fracasso em todos, ou em alguns aspectos de sua vida. É o que chamamos também de baixa autoestima, que é quando não se tem consciência de seu real valor pessoal.

Podemos afirmar que todo ser humano já vivenciou algum sentimento de inferioridade, seja em sua infância ou na fase adulta. O sentimento de inferioridade pode ter várias causas e pode até mesmo ser um reflexo da infância, porém, o problema é que muitas vezes ele acaba por atrapalhar os relacionamentos, a vida afetiva e profissional. Esses sentimentos, geralmente, surgem por meio de frustrações, incompreensões, rejeições, traumas ou dificuldades de relacionamento.

O sentimento de inferioridade pode ser primário, que é aquele que está enraizado em uma experiência de fraqueza, desamparo ou dependência vivenciada por uma criança, intensificada por comparações com os irmãos, amigos, vizinhos, adultos etc. Trata-se do sentimento de inferioridade iniciado por feridas e experiências provenientes da infância, sendo que este é um estágio de profunda sensibilidade afetiva e emocional.

E pode ser secundário que possui relação com as experiências vividas na fase adulta. Um adulto que, por exemplo, não conseguiu atingir objetivos estabelecidos em sua vida, ainda que fossem inconscientes; que não foi escolhido em uma promoção profissional, não conseguiu um bom desempenho diante dos demais ou ainda foi “trocado” por outra pessoa em um relacionamento, é o concreto estereótipo desse tipo de sentimento.

O pior é que muitas dessas pessoas são seres humanos fantásticos e repletos de dons, os quais, por sua vez, acabam esmagados pelo sentimento de inferioridade. Em algumas pessoas, o sentimento de inadequação é simplesmente imaginário e é criado por sua mente. Em outros casos, o problema pode ser que realmente existe. Em todo o caso reconhecer o problema é muito importante. Alguns dos sintomas comuns são:

  • Possuem muito tempo para obter o louvor e reconhecimento por parte do outro, mas se não receber elogios agradáveis surge a sensação de tristeza;
  • Estão sempre ocupados em destacar os erros dos outros. Isso acontece simplesmente porque acham difícil ter sentimentos positivos em relação aos outros;
  • Sentem medo de críticas, tem plena consciência de suas limitações, mas se o outro traz sua opinião sobre suas dificuldades, se sente humilhado;
  • Algumas pessoas podem ser agressivas e tentar dominar os outros, funciona como uma tentativa de superar o sofrimento psíquico;
  • Algumas pessoas, no entanto, podem ser extremamente tímidas. Elas evitam reuniões sociais e ficam isoladas da sociedade.

Geralmente quem possui esses sentimentos de inferioridade sente uma necessidade de se livrar desse sofrimento, a fim de levar uma vida mais produtiva. Portanto existem algumas dicas que irão ajudá-lo a melhorar a si mesmo:

  • Pense positivamente: O pensamento positivo pode ajudar muito a melhorar a sua confiança e autoestima, que por sua vez vai ajudar a superar os desafios em todas as esferas da vida de forma mais eficiente;
  • Reconhecer os pontos fortes: todo mundo tem uma parcela de seus pontos fortes e fracos, assim você deve estar ciente de suas fraquezas, mas precisa se concentrar nos aspectos positivos, isso vai fazer você se sentir muito melhor;
  • Melhorar-se: nenhum de nós nasce perfeito, no entanto, nós como seres humanos temos a capacidade de melhorar a nós mesmos. Calcular as áreas de sua vida que precisam de algumas mudanças para tornar a sua vida melhor. Este tipo de pequenas mudanças positivas na vida ajuda a se livrar do complexo de inferioridade.

As dicas podem ajudar, mas não hesite em consultar um profissional para te ajudar com esse sofrimento. O papel do psicólogo no tratamento do complexo de inferioridade é ensinar você a alterar sua forma de pensar e, consequentemente, se comportar de forma diferente diante de situações que causam desconforto. A psicoterapia deve ser o primeiro passo para tudo. O autoconhecimento obtido através do processo da psicoterapia poderá fazer com que reconheça seus reais valores e liberte-se desses sentimentos de inferioridade que te acorrenta.

Lidar com esses sentimentos negativos nem sempre é fácil, mas é possível se sentir melhor e mais capaz de enfrentar os desafios da vida. Você só precisa se lembrar que as pessoas são diferentes e que cada uma delas possui dons e talentos próprios que as fazem especiais e únicas.

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s