atividadefisicapraia.jpg

Não é nenhuma novidade que a atividade física moderada e regular estimula e mantém a saúde do corpo. No entanto, o que cada vez mais pesquisadores têm comprovado, é que a prática não fortalece apenas o físico, mas também a capacidade mental. Praticar exercícios traz também benefícios psicológicos, ajuda crianças a se desenvolver melhor, e é uma grande aliada no combate à Depressão.

A prática de exercícios físicos pode melhorar nossas funções cognitivas, independente da idade e das condições físicas. Além disso, estudos vêm demonstrando que exercitar-se frequentemente é muito bom para o humor, a memória e aprendizagem.

O exercício regular tem o poder de desenvolver células cerebrais, criando novas conexões interneurais e mantendo a mente sempre jovem e ativa, e ajuda a melhorar a circulação sanguínea em todo o corpo. Além disso, estimula a produção de certos hormônios, que também podem afetar o humor e habilidades cognitivas de um indivíduo.

Praticar exercícios físicos ajuda muito na concentração e fixação de conteúdos. Além de desenvolver melhor o raciocínio lógico e a memória, apresenta também reflexos mais apurados e maior foco na realização de atividades escolares ou acadêmicas.

Várias comparações entre as crianças e jovens que gostam de se exercitar e outros mais ociosos apontam que os ativos têm melhores resultados em quesitos como atenção, memória e capacidade intelectual, conseguem memorizar mais informações, processam melhor e demoram mais a se cansar.

Pesquisas também comprovam que o exercício periódico pode ajudar no declínio intelectual na velhice e ainda combater o estresse, pois o treinamento regular reduz o nível do hormônio do estresse, cortisol, que a longo prazo prejudica as células cerebrais. Neste caso a atividade física funciona de forma “neuroprotetora”. Além disso, durante a atividade física, são liberadas substâncias endógenas que estimulam a sensação de bem-estar.

Assim o corpo e a mente formam um único conjunto influenciando mutuamente e de forma direta e clara. A mente influencia o corpo, onde qualquer doença, transtorno mental ou até mesmo o estado de humor, tem consequências a nível físico. Observe que quando estamos tristes ou angustiados, o nosso corpo tem menos resistência e reage mais lentamente do que quando estamos bem conosco e com os outros. Assim com a Atividade Física, o corpo também influencia a mente com inúmeros benefícios:

  • Ajuda no combate à Depressão: praticar exercícios promove a liberação de endorfinas, substâncias químicas que produzem sentimentos de felicidade e euforia e assim alivia os sintomas da Depressão;
  • Reduz o Estresse: exercícios físicos aumentam a produção de nerepinefrina (noradrenalina), uma substância química que pode moderar a resposta do cérebro ao estresse;
  • Melhora a Autoestima: a prática frequente de exercícios físicos, certamente vai melhorar a imagem que você tem de si mesmo, e isso consequentemente irá aumentar a autoestima;
  • Melhora as Relações Sociais: com uma melhor percepção de si mesmo, autoestima elevada e consequentemente melhor saúde emocional, os relacionamentos também podem melhorar muito por conta da autoconfiança;
  • Alivia a Ansiedade: os neurotransmissores liberados durante e depois da prática de exercícios físicos podem ajudar as pessoas que sofrem de ansiedade a sentirem-se mais tranquilas;
  • Previne o Desgaste Cognitivo: á medida que envelhecemos, aumentamos os riscos de contrair doenças degenerativas como o mal de Alzheimer, principalmente depois dos 45 anos de idade. Praticando exercícios físicos, principalmente entre os 25 e 45 anos, conseguimos aumentar as substancias químicas do cérebro que previnem a degeneração dos neurônios do hipocampo;
  • Melhora a Memória: o exercício regular melhora sua memória e a capacidade de aprender coisas novas, e aumenta a produção de células do hipocampo, que são responsáveis pela memória e aprendizagem;
  • Aumenta a Capacidade Cerebral: ao praticar exercícios seu cérebro produz mais neurônios e mais interação entre eles, fenômeno conhecido como neurogênese, que faz com que seu cérebro aumente a capacidade de aprendizagem;
  • Ajuda a Controlar a Dependência Química: o cérebro libera dopamina (neurotransmissor de recompensa) em resposta a estímulos prazerosos como sexo, drogas ou alimentos. Infelizmente algumas pessoas se tornam dependentes de algumas substâncias que produzem a liberação de dopamina em grandes quantidades;
  • Desenvolve o Autocontrole: á medida que as pessoas começam e mantêm um programa regular de exercícios, pode ocorrer um aumento do controle e da autoconfiança. Em outras palavras, uma atitude do tipo “eu posso fazer isso” é desenvolvida.

É essencial que a nossa saúde física e mental sejam cuidadas com a mesma importância e que nos preocupemos em mantê-las bem. Afinal, se nosso corpo não estiver saudável, nosso psicológico também não estará.

elemento emocional da atividade física é utilizado hoje com sucesso no tratamento de distúrbios psíquicos. Porém, vale lembrar, que precisamos sentir prazer na atividade que escolhemos, se começar uma atividade, mas se sentir cada vez mais desanimado, isso só vai te trazer frustração. Assim além das atividades físicas mais tradicionais  como a musculação e os esportes, recomendam-se outros exercícios que podem ajudar:

  • Dança: protege o cérebro do envelhecimento, pois é um exercício físico que contribui com a interação social e auxilia a reduzir a sensação de estresse e promover o bem estar;
  • Caminhada/Bicicleta: são atividades aeróbicas que promovem o aumento dos níveis de serotonina nas áreas de humor, da síntese e liberação de endorfinas contribuindo na diminuição da depressão, compulsão e estresse;
  • Exercícios Localizados: são exercícios de força e resistência muscular localizada e podem ser complementados com flexibilidade, elasticidade e alongamento. Estes exercícios melhoram o humor geral, sintomas da Depressão e Ansiedade, autoimagem, autoestima e autoconfiança;
  • Alongamento: proporciona sensação de bem-estar, diminuição dos sintomas objetivos de tensão e tem efeito relaxante. Ocorre tanto no aspecto central do córtex, quanto no periférico;
  • Yoga: ao oxigenar fortemente o cérebro a prática estimula a concentração, o discernimento e a serenidade ao reduzir e anular o estresse do dia a dia. Trata-se de uma prática completa de desenvolvimento integral do ser humano trabalhando corpo, energia, emoções, pensamentos e intuição. Para quem sofre com problemas de ansiedade, insônia e depressão, essa prática pode servir como calmante, sendo um dos benefícios, o entendimento das nossas emoções;
  • Pilates: O método contempla uma ordem específica de exercícios que obedece a um ritmo respiratório que exige concentração. Por isso, ao longo do curso se adquire um poder maior de controle sobre o corpo, o que possibilita lidar melhor com situações de estresse, ansiedade e nervosismo.

De uma forma geral, praticar atividades físicas é uma forma eficiente de sentir-se melhor consigo mesmo, ainda que durante períodos de crise e instabilidade emocional. No entanto, em muitos casos, elas são uma ferramenta extra que ajuda no processo de tratamento psicológico e que sozinhas não resolvem todos os problemas. 

Anúncios

2 comentários em “Atividade Física e seus Benefícios no nosso Equilíbrio Emocional

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s