-procurando-nemo-02

Quem não se lembra do seu primeiro dia de aula? O ambiente novo, aquela porção de pessoas desconhecidas, regras diferentes das de casa e, muitas vezes, a sensação de depender, pela primeira vez, apenas de si mesmo.

O desafio de começar a frequentar uma escola ou creche é enorme para a criança e para os pais, mas são os adultos quem tem que segurar a onda. Tenha em mente que colocar a criança na escola vai fazer bem pra você que terá tempo pra cuidar de si ou voltar a trabalhar, e para ela que vai crescer com a experiência. Conhecer e socializar com novas crianças e adultos é muito benéfico e faz parte do desenvolvimento infantil.

Quem se lembra da clássica animação da Disney “Procurando Nemo”? A aventura começa no dia em que o peixinho vai pela primeira vez para a escola. Seu pai, Marlin, sente-se inseguro ao deixar o filhote partir: será que ele está mesmo pronto? Essa pergunta é feita pela maioria dos pais, pois trata-se de um instinto de proteção.

Entre as crianças, o que pode acontecer é uma ter mais dificuldade que outra em se adaptar ao novo ambiente, à nova rotina ou à nova turma, e só isso. E para ajudá-las a superar esta etapa, alguns laços de confiança precisam ser estabelecidos. Além disso, quanto maior a experiência social dos pequenos, melhor será a adaptação. Se vive fechada em casa, vai ter dificuldade de se interagir com outras crianças. Se ela costuma ir a parquinhos e relaciona-se com outras pessoas, ela vai ter chance maior de adaptação.

Toda a família deve se preparar para essa fase de adaptação da criança, que pode durar poucos dias ou se prolongar por mais tempo. É fundamental incentivá-la, explicando que ir à escola é comum para todas as crianças, assim como fazem os adultos, que vão ao trabalho diariamente. Além disso, sempre reforçar o prazer proporcionado pelas brincadeiras e aprendizados.

Desde os primeiros dias de vida, a criança desenvolve uma aceitação à rotina imposta pelos pais, e na maioria das vezes, as ações da criança durante o dia são interligadas às da mãe com horários e regras que contribuem para seu desenvolvimento. A necessidade de inserir a criança na escola é um processo que muda totalmente a rotina que a criança está acostumada. Ter horários diferentes, ver outras pessoas e conviver em um ambiente novo é muito importante, mas a iniciação da criança em uma escola pode se tornar um problema de adaptação. A criança passa a ter novas regras e horários, que devem ser respeitados pelos pais para que esse momento seja visto com naturalidade.

É esperado que a criança fique ansiosa e também temerosa nos primeiros dias de aula. Afinal, toda situação nova gera medo. O choro na hora da separação é muito comum e não significa, necessariamente, que a criança não queira ficar na escola. Da mesma forma, a ausência de lágrimas não quer dizer que ela não esteja sentindo a separação. A criança deve ser levada caminhando e ser entregue à professora, pois é sempre mais difícil sair do colo de alguém conhecido.

Nesse primeiro dia, a presença dos pais é muito importante para mostrar que aquele ambiente é seguro e confiável. Os pais devem ser firmes e tentar não desistir de deixar a criança na escola no momento do choro. O ideal é esperar que ela se acalme e não entregá-la a força às professoras e funcionários. Vale lembrar que a escola é um lugar legal e que a aceitação tem que partir primeiramente dos pais.

Mas são os pais que, na maioria das vezes, não conseguem esconder suas preocupações. Diante de sentimentos tão turbulentos, a criança pode se sentir perdida. É nesse momento que ela observa atentamente a atitude dos pais na busca de alguma referência sobre como deve se comportar.

A criança que percebe o sofrimento e a insegurança da mãe vai ter dificuldade pra se separar e se adaptar ao novo ambiente, além de sentir medo do abandono e insegurança. Afinal, por que ela está chorando se vem me buscar daqui a pouco? Portanto, controle seus sentimentos.

Se ele já tem idade para entender, converse bastante sobre a escola antes de matriculá-lo, sempre falando sobre o lado positivo e contando como primos ou irmãos mais velhos se divertem lá. Depois de escolhido o lugar, leve seu filho para conhecê-lo. Assim ele vai criando um vínculo com o espaço e as pessoas.

A mãe deve falar das vantagens de estar com novas crianças, fazendo novos amigos; interessar-se pelo dia na escola e elogiar como o filho está crescendo e aprendendo coisas novas, legais e importantes. Desta forma, ele terá certeza de que mesmo ausente continua sendo muito amado. Jamais saia sem se despedir da criança ou escondida. Isso pode gerar um conflito emocional muito forte nos pequenos. O ideal seria falar que está deixando-a na escola, mas que logo mais voltará para buscá-la. Mantendo essa palavra, logo mais não será preciso fazer com que seu filho se sinta inseguro.

Lembre-se que os escândalos nos primeiros dias são bem comuns e com o tempo não será motivo de preocupação. Sempre converse sobre a importância da escola e todas as coisas legais que ela possa proporcionar. E, em poucos meses, o aperto no coração na hora de deixá-lo com as professoras desaparece.

Quando for buscá-la, sempre pergunte as novidades: como foi o seu dia, o que fez, se aconteceu alguma coisa que tenha lhe chamado a atenção, com quem conversou e brincou, etc. Mostre-lhe que a mudança de rotina será muita benéfica.

Sobre a idade escolar cada família tem o seu momento e critérios para saber quando as crianças irão para a escola, não é necessariamente um consenso geral entre mães e pais, variando muito de acordo com as necessidades de cada um.

Algumas dicas podem facilitar nesse processo:

  • Prepare a criança para o ingresso na escola incluindo desde uma visita ao colégio até a compra de material escolar. O entusiasmo dos pais também pode ajudá-la a criar uma expectativa positiva sobre sua ida à escola, desde que o entusiasmo seja natural e não exagerado.
  • Quando a criança tem irmãos mais velhos que já freqüentam a escola, isso contribui para que ela entenda que, assim como os pais vão para o trabalho todos os dias, os filhos vão à escola. Outra vantagem é que a criança lida melhor com suas fantasias de abandono. É comum algumas crianças resistirem à escola com medo de que os pais não voltem para apanhá-las mais tarde. Quando observam que isso não ocorre com os irmãos, conseguem controlar mais facilmente esse tipo de ansiedade.
  • Muitas escolas adotam um horário reduzido na primeira semana ou no primeiro mês de aula, com o objetivo de auxiliar na adaptação da criança. Essa medida, em geral, é muito boa, pois diminui o tempo de separação dos pais e a criança pode ir acostumando-se aos poucos com o novo ambiente.
  • Mais importante que tudo é que os pais controlem sua própria ansiedade. Quanto mais ansiosos eles se mostram, maior é a ansiedade da criança. A mãe cujos olhos se enchem de lágrimas ao deixar o filho na porta da escola sinaliza para ele que algo doloroso está para acontecer e o resultado é inevitável: choro e pânico, muitas vezes de ambas as partes. Quanto mais naturais e tranqüilos os pais se mostrarem, melhor para a criança.
  • Se a criança começar a apresentar sintomas físicos, como vômitos ou desmaio, à medida que o horário de ir para a escola se aproxima, é importante averiguar o motivo, que pode ser mais grave que a ansiedade da adaptação. É recomendável que os pais compareçam à escola e procurem saber se ocorreu algum fato que deixou o filho assustado. Também é importante que avaliem a necessidade de um acompanhamento profissional.
  • Além disso, é aconselhável participar de reuniões coletivas e particulares com os professores, com a diretoria e o conselho pedagógico para manter-se informado de que seu filho ou sua filha está conseguindo enfrentar esse desafio sem problemas.

Assim o ingresso na escola é um evento muito importante na vida da criança, pois é o primeiro passo rumo à independência em relação aos pais, e a construção de um espaço próprio, que marcará seu caminho futuro. Para os pais, esse também é um evento decisivo. É um momento de constatação de que o seu bebê está crescendo e se tornando menos dependente.

É importante que os pais estejam de olho no comportamento dos filhos durante as primeiras semanas de aula. Algumas crianças sofrem mais com o ambiente escolar e não se adaptam facilmente, tornando-se mais agressivas ou acuadas. Neste caso um acompanhamento psicológico passa a ser interessante.

Embora seja difícil ver tudo isso acontecer, pense que aprender a lidar com essas emoções é uma etapa importante do desenvolvimento. Blindar seu filho disso só o deixará frágil. Quando o choro aparecer, o melhor é reforçar que a escola é importante, que você sabe que ele está sofrendo, mas acredita que ele vai conseguir superar. É difícil para a criança e para você, mas é necessário firmeza. Sem esquecer que ela precisará muito do seu colo e da sua paciência.

Afinal, momentos de separação nunca são fáceis e tanto os pais quanto as crianças podem precisar de acompanhamento psicológico para passar por esse processo da maneira mais tranquila possível.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s